RSS

Arquivo da categoria: RELACIONAMENTO

Nova Política de Moderação de Comentários

Assim como montei este blog para me expressar livremente e com liberdade, deixei os comentários abertos para que qualquer pessoa pudesse se expressar com total liberdade. Porém, nos últimos meses, algumas pessoas têm abusado desta liberdade, utilizando-se de ofensas e difamação em seus comentários. Sendo assim, resolvi tornar pública e colocar em prática uma nova política de moderação dos comentários do blog. Coisa simples, de forma que os verdadeiros leitores não tenham sua liberdade podada, mas pontual e necessária, para que certos absurdos não sejam postados.

Primeiramente, não serão aceitos comentários que contenham ofensas pessoais, palavrões e palavras de baixo calão com o objetivo de denegrir a imagem de qualquer pessoa.

Além disso, não serão aceitos comentários postados por pessoas que não informem seu e-mail real. Analisando os comentários mais grosseiros postados recentemente, a maioria informa endereços de e-mail inválidos. Sendo assim, comentários postados utilizando e-mails falsos serão considerados spam.

Espero que isso seja o suficiente para conter o abuso nos comentários de certos posts.

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em outubro 20, 2011 em RELACIONAMENTO

 

Tags: , ,

A tecnologia e o relacionamento entre pais e filhos

Cartas ao Tom é uma coluna publicada na Revista Pais & Filhos e escrita pela Andrea Siqueira. Sempre leio, pois acho muito legal o que ela escreve e na edição de agosto/11 ela escreveu sobre a tecnologia moderna e as relações entre pais e filhos. Curti e me identifiquei muito com o texto, e resolvi compartilhar aqui no blog.

Querido filho Tom,

Pede, por favor, para a vovó ligar o Skype que a mamãe quer falar com você.

Não sei se na sua vez de ser pai, filho, o teletransporte já será realidade, mas o fato é que, hoje, usar o Skype quando a gente viaja para ligar para você toda hora (sempre com um Wi-Fi) é uma delícia.

Compartilhar fotos e acontecimentos em tempo real, então, nem se fala: “Olha como o Tom está vestido para a festa de São João”, “olha o que mamãe e papai estão fazendo agora”. A saudade não diminui. mas a culpa de estar fazendo uma viagem sem criança, sim. E isso já libera um peso extra em qualquer bagagem.

É tão curioso ver sua relação com a tecnologia, filho.

Computador lá em casa é sinônimo de muita coisa: joguinhos, fotos, filmes, desenhos antigos no Youtube. Você já se acostumou, por exemplo, a usar o Skype para, de vez em quando, desenhar com o primo que mora na Nova Zelândia ou almoçar com a vovó em Salvador.

Mas o computador, ao mesmo tempo que aproxima, também atrapalha, e mamãe pede desculpas por tantas vezes que já teve, e que certamente ainda vai ter, que trabalhar no fim de semana.

Um dia desses você falou: “mamãe, quando eu crescer, não quero ter computador.” Perguntei: por que, filho? “Porque eu não quero trabalhar, eu quero é cantar!”

Opa, aí você esbarrou no meu passatempo preferido: imaginar o que você vai ser quando crescer.

São tantas as possibilidades, filho.

Nesse caso, por melhor que seja a tecnologia, eu e seu pai damos preferência aos estímulos mais analógicos do que os digitais. As embalagens de suco, aveia e leite, por exemplo, são disputadas exaustivamente lá em casa. De um lado, eu, sempre tentando organizar o lixo reciclado, do outro, você e suas esculturas de sucatas.

Agendas de brinde viram grandes cadernos de desenhos e até mesmo o álbum do Club Penguin pode ser feito com papéis grampeados, recortes e cola. Música está sempre presente (talvez por isso o seu desejo de cantar?)  E é muito bacana ver a evolução da sua compreensão de mundo.

De uns tempos para cá, você passou a prestar atenção às letras das músicas do seu playlist de dormir. Quando você era bebê, ouvia os clássicos dos Rolling Stones, Beatles, PinkFloyd e outros, na versão pianinho, sem letra. Hoje,quem te embala é o João Gilberto. E é o João original mesmo, com o seu violão, suas letras, suas temáticas. Um dia, diante de tamanha informação bem na hora que deveria ser um soninho tranquilo, você me pergunta: “Mamãe, por que é que esse João Gilberto diz que cantando ele manda a tristeza embora? Ele precisa ficar triste para cantar? Eu não.” Eu também não, filho, eu também canto quando estou feliz.

Um beijo,

Mamãe

por ANDREA SIQUEIRA, mãe de Tom
FALE COM ELA: ANDREA.COLUNISTA@REVISTAPAISEFILHOS.COM.BR
 
Deixe um comentário

Publicado por em setembro 29, 2011 em RELACIONAMENTO, TECNOLOGIA

 

Tags: , , , , ,

QUANDO O iPHONE NOS DEIXA NA MÃO

Texto de GISELA RAO, publicado na Revista Alpha de fevereiro de 2011

Foi-se o tempo em que a gente tinha de disputar a atenção do nosso homem apenas com o futebol. A tarefa era difícil, mas não chegava a ser árdua. Era só tentar trocar o meia de ligação por uma meia com cinta-liga e animar o ponta de lança do rapaz. Que saudades dessa época, quando, no mínimo, a empreitada acabava no zero a zero. Agora, com a chegada dos gadgets, a briga é desleal. Quando a gente
chega do supermercado com dez sacolas nas mãos e nosso namorado desce as escadas do predinho (sem elevador) correndo e, em vez de nos ajudar, mostra o Milestone novo que ele comprou… Isso só pode significar uma coisa: hoje não vai ter sexo!

Pois é, essa fala até um tempo atrás era das mulheres, para a frustração da rapaziada. E também não se ouvem mais as frases: “Ou esse seu amigo solteiro e sem-vergonha ou eu” nem “Ou esses 50 tipos diferentes de cerveja na geladeira ou eu” e muito menos “Ou esse labrador fedorento ou eu”. Ao contrário, pobre do labrador fedorento, que agora passa seus tristes dias sem ninguém para atirar a bolinha. Se ao menos o iPhone pudesse ser atirado, ele o buscaria feliz da vida, tentando não babar na proteção de silicone da tela do alienzinho diabólico.

Sim, é verdade, estamos com ódio de seus brinquedos eletrônicos e não sabemos como lidar com essa
parada. Não dá nem para ouvir mais o CD do Barry Manilow em casa, porque isso lembra o BlackBerry
dele e aí já viu. O psiquiatra Flávio Gikovate alerta: “Não está fácil encontrar um relacionamento capaz
de sobreviver a um mundo em que cada vez é mais interessante ficar sozinho”. A gente até tenta ter simpatia pelas “coisas”, tenta cultivar uma amizade. Damos apelidinhos meigos, como “A-fonso” para o iPhone e “Minestrone” para o Milestone. Mas não adianta, nos sentimos rejeitadas, relegadas a segundo plano e, mesmo assim, o cara não desgruda a fuça de lá. Não, não, nem pensar em ficarmos sentadas no trono de um apartamento, com a boca escancarada, cheia de dentes, esperando a morte chegar… O jeito é arrumar nossos próprios brinquedinhos ou voltar para o “Nestor”, o vibrador.

Gisela Rao é publicitária. escritora, blogueira e caçadora de lendas urbanas femininas.

Escreva para ela: giselarao@uol.com.br

 
 

Tags: , , , , ,

Plano Econômico Anti-crise Pessoal

By Y. Camargo

Crises financeiras vão e vem, e há crises que já tomaram o mundo de muita gente, ou seha, pequenas crises que atingem o controle das finanças pessoais e comprometem a qualidade de vida.

Em épocas de crises é comum vermos o lançamento de planos e pacotes econômicos anti-crise, por isso desenvolvi há três anos o meu próprio plano pessoal anti-crise, afinal, a boa saúde financeira é essencial para uma vida com mais qualidade e, porque não dizer, felicidade.

Dei uma revisada e atualizada neste plano, que estou republicando hoje aqui.

Orçamento

A primeira coisa a fazer é elaborar uma planilha de orçamento para saber exatamente qual a condição financeira no momento. Na internet existem várias planilhas que podem ser usadas como modelo, bastando adaptar de acordo com as necessidades. No meu caso, dividi meu orçamento da seguinte forma:

RECEITAS: Tudo o que recebo, minha remuneração, seja salário, vale-refeição, alimentação, 13º etc.

DESPESAS FIXAS – BÁSICAS: São despesas das quais não tem como fugir, estarão lá todo mês e devem ser priorizadas, como por exemplo aluguel, IPTU, luz, água, supermercado etc.

DESPESAS FIXAS – NECESSÁRIAS: Não são prioridade máxima, mas de certa forma necessárias em minha vida e também aparecerão mensalmente em minhas contas.

DESPESAS EVENTUAIS: São despesas que não aparecem todos os meses, às vezes acontecendo apenas uma vez por ano, como IPVA, cursos, gás de cozinha, farmácia etc.

COMPROMISSOS FINANCEIROS: Compromisso assumidos com financeiras, cheques pré-datados, etc.

PENDÊNCIAS FINANCEIRAS: Composto principalmente por dívidas bancárias, ou seja, aquela que ou você paga ou entra num labirinto financeiro. Nesta categoria estão o cheque especial, cartão de crédito, empréstimos etc.

Um orçamento de três meses já é o suficiente para se ter um panorama completo e tomar medidas de curto prazo quanto necessário.

Economia ao pé da letra

O dicmaxi – Dicionário Eletrônico – define economia como: 2 Boa administração ou ordem da casa, de estabelecimento, bens particulares ou públicos. 3 Hábito de poupar, moderação nas despesas; poupança, parcimônia. 4 Dinheiro acumulado por efeito de poupança ou boa ordem, em qualquer administração particular ou pública. 6 Filos Realização de um fim pelos meios mais simples. 7 Aproveitamento eficiente de recursos (material, espaço, tempo etc.), com redução ao mínimo do gasto desses elementos.

Tendo terminado meu orçamento de três meses o resultado que encontrei não foi nada animador. Em três meses o estouro em minha conta corrente será de quase 150%, ou seja, até dezembro eu estarei gastando mais que duas vezes mais o que ganho e não é preciso ser gênio em economia para saber que isso não é bom. É hora de por em prática os significados da palavra economia.


Moderação nas despesas e aproveitamento eficiente de recursos estabelecendo metas de redução de despesas

Pego a planilha e começo a analisar gastos por gasto, despesa por despesa. Meu objetivo aqui é: reduzir o que puder ser reduzido e cortar o que puder ser cortado. Nem toda despesa pode ser reduzida, mas no que for possível tentarei reduzir ao máximo.

Nem toda despesa pode ser reduzida, mas no que for possivel tentarei reduzir ao máximo

Nem toda despesa pode ser reduzida, mas no que for possível tentarei reduzir ao máximo

Aluguel – Esta é uma das despesas que não podem ser reduzidas nem cortadas.

IPTUOutra despesa sobre a qual não tenho poder nenhum, a não ser o poder de pagar.

Luz (meta de redução: 30%) – Meu consumo de energia elétrica é baixo já que moro sozinho e passo a maior parte do tempo fora de casa. Mas como economia é economia, fui me informar sobre formas de reduzir esta despesa. Bom, que geladeira e chuveiro são os grandes vilões da conta de luz todos já sabem. Porém encontrei algumas coisas onde posso moderar e aproveitar melhor o recurso de energia doméstica.

1º Apagar todas as luzes de cômodos que não estão sendo utilizados.

2º Desligar a TV quando não estiver assistindo. Às vezes gosto de ficar ouvindo a TV enquanto estou no computador. Pois bem, se já estou na frente do computador porque não ouvir o computador, colocando uma música ou até uma rádio on-line pra tocar enquanto trabalho.

3º Desligar caixas de som e monitor quando não estiver em frente ao micro. Sempre deixo arquivos baixando da Internet, mas quando não estiver em frente ao micro, muitas vezes até fora de casa, posso deixar apenas a CPU ligada enquanto os downloads são concluídos e também configurar o computador para ser desligado logo após a conclusão dos downloads.

4º Evitar o efeito stand by dos equipamento eletrônicos (sabe aquela luzinha vermelha da TV?!) que de acordo com o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (INMETRO) consome cerca de 20% do total de consumo de uma conta de luz. Minha opção: Desligar TV, DVD, videogame, microondas e receptor de TV da tomada quando não estiver em casa.

Água – Já pago o mínimo, não tem como ser mais econômico.

Pós-graduação – Também não tem como mexer, até porque já pago um valor muito mais em conta por fazer um curso à distância.

Inglês – Não tem como reduzir, mesmo porque a empresa já custeia 85% da mensalidade.

Celular (meta de redução: 11%) – Pra reduzir esta despesa só falando menos e controlar os minutos gastos para não ultrapassar o valor do pacote mensal. Uma boa dica é ficar sempre de olho nas promoções de telefonia celular que oferecem ligações gratuitas ou mais em conta (geralmente para números da mesma operadora ou fixo). Pra finalizar, como tenho dois aparelhos, comprei um OI chip, ou seja, por apenas R$ 20,00 vou poder realizar chamadas para outros celulares OI (a maioria dos meus amigos compraram) e fixos na faixa por três meses. Esta promoção tem seus limites, mas mesmo assim é vantajosa.

Internet – Estou com a velocidade que oferece o melhor custo/beneficio, então optei por não mexer nesta despesa, mas aproveitá-la para tentar reduzir os gastos com TV por assinatura.

Telefone fixo (meta da redução: 15%) – Alterei meu plano para um econômico, onde realizo apenas chamadas locais, mas posso continuar utilizando a Internet Banda Larga que é o que mais me interessa. A assinatura deste plano é mais barata e como eu ligo pouco para DDD e celular, posso utilizar os minutos do plano do celular ou comprar créditos para usar com a linha fixa.

Gasolina (meta de redução: 50%) – Aqui não tem jeito, pra economizar tenho que reduzir a rodagem, buscar caminhos mais rápidos, usar combustível de qualidade e às vezes utilizar o transporte coletivo. E comprar gasolina mais barata também, pesquisando sempre para obter qualidade e bom preço. Pra ter uma idéia, onde eu moro a postos que vendem gasolina à R$ 2,59, talvez até mais caro, enquanto eu compro gasolina comum num posto de qualidade e fiscalizado perto de casa por R$ 2,24, no meu caso, uma economia de R$ 16,00 num tanque cheio.

Supermercado (meta: Manter as despesas dentro do valor do vale-alimentação) – recebo vale-alimentação na empresa em que trabalho, mas os gastos mensais às vezes acabam estourando o valor do beneficio me fazendo usar dinheiro da minha conta para fazer compras no supermercado. Para evitar isso a estratégia é sempre fazer uma lista das coisas necessárias, comer antes de fazer compras e pesquisar sempre. Eu até tinha um cartão de um clube de compras mas percebi que não vale a pena já que eu não compro tanto e em grandes quantidades. Pesquisar vale mais a pena!

Lazer (meta de redução: 50%) – Este foi a situação mais difícil de estimar uma média, pois os gastos diferem muito de um mês para outro. Em um mês gastei R$ 70,00 e no outro mais de R$ 500,00. Por isso é importante uma administração eficiente e bem controlada. As ações estratégicas neste caso são:

  • Cozinhar mais: comer fora é caro, comer em casa é econômico. Com criatividade e boa companhia também pode ser muito gostoso. Claro que sair pra comer vez ou outra é bom, mas minha preguiça me fazia gastar comendo fora sempre. Cozinhar também é mais barato que comida pronta, além de mais saudável.

  • DVD: um bom filme no conforto do lar é sempre muito bom, mais barato que o cinema, você põe quanto quiser de manteiga na pipoca e se tiver boa companhia tudo fica ainda melhor. Se o filme for chato a perda e decepção não é tão grande e se você estiver sozinho pode rolar um outro DVD… Deitar, Virar, Dormir.

Ainda falando sobre DVDs, eu gosto muito de séries e estes são uns dos poucos DVDs que eu gosto de comprar. Mas hoje em dia o preço está abusivamente alto. Por isso, por enquanto, ao invés de comprar minhas séries favoritas vou apenas baixar os episódios da Internet. A qualidade é perfeita, não pago nada e nem preciso esperar sair em DVD, na verdade não preciso esperar nem chegar a minha TV por assinatura, já que os episódios são disponibilizados para download algumas horas depois de sua exibição inédita nos EUA. Pra quem não fala inglês, só baixar a legenda em sites especializados ou esperar alguém colocar um arquivo com o episódio já legendado para download.

·Na faixa: Comecei a procurar alternativas de lazer e cultura grátis ou com ingressos populares perto de casa e me surpreendi com a quantidade de coisa boa pra fazer. Numa rápida pesquisa encontrei ótimas opções de coisas pra fazer:

    • Show do Zeca Baleiro, do lado de caso – entrada franca.
    • Parque Villa-lobos, a 10 minutos de casa.
    • Festa do Cinema em todos os cinemas Severiano Ribeiro e Kinoplex, todos os filmes, todos os horários – Inteira: R$ 6,00 – Meia: R$ 3,00.
    • Casa das Rosas, na Avenida Paulista – visitação gratuita.
    • Parque do Ibirapuera, a 25 minutos de casa.
    • Museu da Imagem e do Som – MIS, Av. Europa – exposições e midiateca gratuitas e sessões de cinema a R$ 8,00 (estudantes).
    • Parque Ecológico de Tietê, Núcleo de Lazer Eng. Goulart
    • Parque Estadual Cantareira, Tremembé – entrada R$ 2,00
    • Espetáculo “Na balada” – Teatro vivo – Grátis
    • Espetáculo “The Tempest” – Teatro Cultura Inglesa – Pinheiros – Grátis (em inglês).
    • Espetáculo “Pride and Prejudice” – Teatro Cultura Inglesa – Pinheiros – Grátis (em inglês).
    • Espetáculo “Any Other Friday” – Auditório Cultura Inglesa – Higienópolis – Grátis (em inglês).
    • Ingressos para teatro (bem) mais barato pela APETES`P – Campanha da APETESP “Teatro é um barato” com termino previsto para 21/12/2008 oferece ingressos para dezenas de peças com descontos http://www.apetesp.org.br/campanha/comocomprar.htm.

TV por Assinatura(meta de redução: 40%): Quase não paro em casa, pra que ter mais de 50 canais se não assisto nem 10? Minhas opções são: tentar um pacote mais em conta com menos canais ou adquirir um pacote de outra provedora de TV, aproveitando o desconto para pacotes de TV + Internet. Essas promoções poderão também ser utilizadas como subsidio em negociação com minha atual provedora para conseguir descontos e redução do pacote. Nada de pacotes adicionais. Nada de pay-per-view.

IPVA: Mais um imposto, mas neste caso nós de São Paulo podemos utilizar os créditos da Nota Fiscal Paulista para deduzir do valor do IPVA. Como eu não estava botando muita fé neste programa eu não dei meu CPF tantas vezes quanto deveria, mas ainda sim consegui um crédito de R$ 36,97.

Estacionamentos: Este se tornou um mercado muito lucrativo num país onde as pessoas têm medo de deixar seus carros na rua, preferindo pagar a correr o risco de ter o carro roubado. Mas há algumas formas de economizar.

  • Estacionamentos gratuitos – alguns shoppings e hipermercados ainda oferecem estacionamento gratuito para seus clientes. Mesmo que signifique andar uns 5 ou 10 minutos mais deixar o carro nestes estacionamentos é mais seguro que deixar na rua e você não paga nada por isso.

  • Estacionamentos pagos – Alguns hipermercados e shoppings oferecem horas de estacionamento grátis para clientes que gastam determinadas quantias. Você pode aproveitar a hora do almoço ou das compras para fazer outras coisas por perto dentro do limite das horas oferecidas pelo estacionamento.

  • Lava-rápido – Costumo deixar para lavar o carro quando preciso ir até o centro para resolver alguma coisa. Assim ao invés de pagar o valor do estacionamento e da lavagem pago apenas a lavagem. Economia de dinheiro e de tempo.

Manutenções automotivas: Aqui mais uma vez a pesquisa é a chave do negócio, por exemplo, eu estou precisando regular a cambagem do carro. No primeiro lugar que levei o carro, nestes centros de serviços de hipermercados, queriam me cobrar R$ 210,00 pelo serviço. Entrei em contato com um outro centro automotivo, uma rede grande e conhecida na verdade, e o mesmo serviço sairia por R$ 95,00, quer dizer, R$ 115,00 (54%) de diferença. Só por curiosidade perguntei num centro de serviços perto de casa, simples, mas confiável, e o serviço custaria R$ 70,00.

Compromissos financeiros: No caso das parcelas do carro não tem o que fazer, só pagar. Quanto às demais despesas o ideal é comprar apenas o necessário, evitar parcelar e usar cheques pré-datado apenas se não for possível comprar à vista.

Cartão de Crédito (meta de redução: 50%) e Cheque Especial (meta de redução: 100%): São ilusões. Fazem-nos achar que temos um poder de compra maior do que realmente temos e podem se transformar numa doença para a saúde financeira, que pode ser letal. Mas às vezes é um mal necessário e nestes casos o ideal é tomar cuidado, se planejar e ter limites compatíveis com sua capacidade de endividamento. Do que adianta um limite de R$ 3.000,00 se você não consegue pagar nem R$ 1.000,00? Quanto maior o limite maior a ilusão. Também é preciso ter muito cuidado com atrasos por causa das multas e juros altíssimos e com o uso do crédito rotativo que cobra taxas de juros absurdamente altas, geralmente acima de 10% ao mês. O cheque especial só deve ser usado em caso de urgência, ou de vez em quando já que os juros são bem mais elevados do que nos empréstimos pessoais.


Anotar tudo

Segundo a economista Sandra Blanco, autora do livro “Mulher inteligente valoriza o dinheiro”, uma boa alternativa para quem quer ter noção do custo de vida é anotar absolutamente tudo, desde as pendências financeiras essenciais à sua sobrevivência aos supérfluos. “Passe alguns meses anotando tudo o que pagar, fazendo o registro no ato”, recomenda Sandra, que também recomenda diferenciar a separar as despesas fixas das variáveis, ou seja, as quantias previamente definidas, como prestações e tarifas, e o que se desembolsa conforme o uso.

Usar um caderno ou qualquer outra forma para anotar todos os gastos pode ajudar a ter total controle sobre as despesas e resistir às tentações de gastar o dinheiro com produtos que raramente serão utilizados ou são desnecessários. Muitas vezes os pequenos gastos acumulados se tornam grandes despesas que podem ser reduzidas ou até eliminadas.


Suporte tecnológico

A tecnologia da informação pode ser uma grande aliada na administração das finanças pessoais. Para facilitar meu controle instalei em meu pendrive um software bem fácil de usar e que atende minhas necessidades, o Personal Finances 3.0, mas o legal dar uma pesquisada no Google e em sites de downloads para encontrar o programa certo para cada necessidade.

Muitas vezes os pequenos gastos acumulados se tornam grandes despesas que podem ser reduzidas ou até eliminadas

Muitas vezes os pequenos gastos acumulados se tornam grandes despesas que podem ser reduzidas ou até eliminadas

 
5 Comentários

Publicado por em agosto 18, 2011 em RELACIONAMENTO

 

Tags:

O Malabarismo da Vida

Recebi este texto por e-mail e mesmo não sabendo quem é o autor, resolvi publicar, pois é muito bom.

“Imaginem a vida como um jogo, no qual vocês fazem malabarismo com cinco bolas que lançam ao ar.. Essas bolas são: o trabalho, a família, a saúde, os amigos e o espírito.

O trabalho é uma bola de borracha. Se cair bate no chão e pula para cima. Mas as quatro outras são de vidro. Se caírem no chão, quebrará e ficará permanentemente danificada. Entendam isso e busquem o equilíbrio na vida”. Como?

Não diminuam seu próprio valor, comparando-se com outras pessoas. Somos todos diferentes. Cada um de nós é um ser especial.

Não fixem seus objetivos com base no que os outros acham importante. Só vocês estão em condições de escolher o que é melhor para você próprio.

Dêem valor e respeitem as coisas mais queridas aos seus corações. Apeguem-se a elas como a própria vida. Sem elas a vida carece de sentido.

Não deixem que a vida escorra entre os dedos por viverem no passado ou no futuro. Se viverem um dia de cada vez, viverão todos os dias de suas vidas.

Não desistam quando ainda são capazes de um esforço a mais.

Nada termina até o momento em que se deixa de tentar.

Não temam admitir que não sejam perfeitos.

Não temam enfrentar riscos. É correndo riscos que aprendemos a ser valentes.

Não excluam o amor de suas vidas dizendo que não se pode encontrá-lo. A melhor forma de receber amor é dá-lo. A forma mais rápida de ficar sem amor é apegar-se demasiado a si próprio. A melhor forma de manter o amor é dar-lhe asas. Corra atrás de seu amor, ainda dá tempo!
Não corram tanto pela vida a ponto de esquecerem onde estiveram e para onde vão.

Não tenham medo de aprender. O conhecimento é leve. É um tesouro que se carrega facilmente.

Não usem imprudentemente o tempo ou as palavras. Não se podem recuperar. A vida não é uma corrida, mas sim uma viagem que deve ser desfrutada a cada passo.

Lembrem-se: Ontem é historia. Amanhã é mistério e Hoje é uma dádiva. Por isso se chama “presente”.

 
Deixe um comentário

Publicado por em julho 19, 2011 em RELACIONAMENTO

 

Tags: , , , ,

DAS RELAÇÕES CONJUGAIS ou, do amor

do Mestre J. Pietro B. Nardella Dellova

Que belos são os teus amores, esposa minha…
mel e leite estão debaixo da tua língua…
o teu umbigo é como uma taça redonda na qual não falta vinho…
beije-me ele com os beijos da sua boca…
eu sou do meu amado e o meu amado é meu…
Shir Harishim (Cantares de Sh’lomo)

É preciso avançar. Descobrir algo mais que a futilidade dos dias e a superficialidade dos casamentos, sobremodo as relações de homem e mulher. Superando os obstáculos cotidianos, é possível entender que esta relação é, ou na verdade, deveria ser, um encontro. Encontro de humanos que constróem um diálogo: humanizam. O encontro estabelece, vez por todas, a perfeição, em que emissor/receptor se confundem, se plenificam e se compreendem, num processo único e intenso de mensagem/resposta, por códigos verbais/não verbais. Principalmente, não verbais, pois que outro código é necessário, quando naturalmente as pupilas dos olhos e os lábios da boca dilatam-se, numa demonstração convidativa? É como ouvir, olhando estas pupilas e estes lábios: “entre, ilumine e acomode-se na intimidade da minha casa”.

Por que portas se pode entrar? Por todas as que a natureza deu aos seres humanos: pois eles se vêem, eles se ouvem, eles se cheiram, eles se beijam e, finalmente, eles se tocam num toque suave e inconfundível. E não se despreze nenhuma destas portas sob pena de morte, porque cada uma, e todas elas, conduzem à intimidade, ao mais profundo, ao centro da pessoa amada, enfim, ao que ela é –ninguém sabe quem ela é, senão quem ama, entra e ilumina. A isto os judeus chamam bênção de D’us, plena de substância que é, a um só tempo, entranhavelmente bom, muito bom, e universalmente maravilhoso.

Não é sem motivo que o vinho seja a expressão deste encontro (ninguém em sã consciência bebe do vinho sozinho). Vinho é bebida para dois que se encontram e tornam-se um, transformando suas bocas e seus umbigos em cálices: pois é na boca e no umbigo que se derrama do vinho e dele se bebe. O vinho que é, o vermelho da sua cor, o perfume da sua essência, o sabor das suas uvas, o toque que enche a boca e o brinde dos corpos que se abençoam. Quem for apressado, infeliz e ébrio, beba aguardente, conhaque, cerveja e outros venenos, mas, no umbigo e na boca dos que se amam apenas vinho e, na casa íntima, somente os que portam a luz e a poesia: a chave!

Porque eles, os que se amam, não são o balcão de um boteco, onde os insípidos, os trêmulos e os egocêntricos buscam ouvidos para as suas mágoas e um copo qualquer em que possam afogá-las. Os que se amam são a mesa aparelhada e posta, na qual dedicam seus ouvidos (e seu íntimo) e oferecem suas mãos, para com elas, abençoarem o encontro, e somente com elas, partirem o pão e, embebendo-o no vinho, o depositarem na boca do ser amado.

É um processo de vida, no qual cada raiz será recoberta com boa terra, e cada boa terra ungida com água fresca e, a alegria indizível e inegociável, é ver as flores se abrindo às borboletas e às abelhas e, o fruto, tomando forma e cor, substância e paladar, oferecendo-se a todos os sentidos: às mãos, à boca, aos olhos, ao nariz e ao ouvido, ligados por alma, espírito e corpo: pelo amor. Em que cada poro não é desconhecido, nenhuma mudança de cor ou temperatura passa despercebida, e o pulsar do peito se converte em notas ao ouvido do músico-poeta, e somente ele as ouve e as pinta na partitura.

É a harmonia: o humano se respeita e se reconhece gente apenas. A presença de um e de outro é não menos que um acontecimento vivificador : e ao menor sinal de aproximação a menor parte do corpo estremece, se robustece e se agiganta e a alma se abre como um manto, que se faz céu, que se faz universo sem medida e sem fim. E nada perturba, nada incomoda, nada se interpõe, nada falta. Tudo é belo: tudo é estado de graça!

É, então, o amor de entrega, a comunhão, a ternura, a leveza da alma e do corpo, o convite, o pão e o vinho, o caso, a leitura de Vinícius e Sh’lomo, o beijo íntimo e demorado, a lua e pilhas de estrelas que se contam calmamente, o verde da serra, a brisa do mar azul, a audição de J. S. Bach, o caffè, o respirar, o peito e a alegria das águas que saltam de fontes.

E se não for assim, exatamente assim, é, então, o estupro tolerado, a conveniência, a tortura, a morte da alma e do corpo, a violação, o churrasco e a cerveja, o descaso, a novela, a fita pornô e pilhas de filmes da promoção, a fila sebosa e interminável para o litoral, a areia nos cabelos, a discussão de contas, o shopping center, o ronco, as costas e o peso dos rios que se arrastam.

(publicado no Campinas Café)
postato no Cafe Torah em 5 Kilslev 5766

© Ms. J. Pietro B. Nardella Dellova, 43, Mestre em Direito pela USP (A Crise Sacrificial do Direito: um estudo de René Girard, Martin Buber e Yeshua). Mestre em Ciências da Religião pela PUC/SP (A Palavra Como Construção do Sagrado: um estudo da Poesia em Heidegger e Osman Lins). Pós-graduado em Direito Civil (Os Direitos da Personalidade). Pós-graduado em Literatura Brasileira (A Palavra Multifacetada: do grau zero e outros graus da palavra). Formado em Filosofia e em Direito. Poeta e Membro da União Brasileira de Escritores – UBE. Autor dos livros: AMO, NO PEITO e ADSUM. Ex-membro da Comissão de Bioética e Biodireito da OAB/SP. Darsham (predicatore) e Mestre da Sinagoga Sêh HaElohim (originada da Sinagoga Scuola (Beit HaMidrash), Lazio, Itália). Membro ativo da Ordem dos Advogados do Brasil e da Associação dos Advogados de São Paulo. Consultor e Palestrista. Professor de Direito Civil, Ética e Filosofia do Direito em São Paulo. Coordenador dos Cursos de Direito da Faculdade de Jaguariúna e da Faculdade Policamp, em SP.

 
Deixe um comentário

Publicado por em julho 14, 2011 em RELACIONAMENTO

 

Tags: , , , , ,

Dia do Turista em São Paulo [Dica 1]: Av. Paulista

Aproveitando que hoje, dia 13 de junho, é Dia do Turismo, resolvi falar um pouco sobre pontos interessantes para se conhecer em São Paulo, tanto no estado quanto na cidade. Pra quem não sabe, moro em São Paulo, mas mesmo assim, às vezes me sinto um verdadeiro turista por aqui.

Sempre achei curioso essa coisa que temos, de querer sair pelo mundo, conhecendo novos estados, países, mas acabamos não conhecendo o que nosso próprio estado, nossa própria cidade, tem de bom e belo para nos oferecer.

É claro que eu amo viajar, conhecer coisas, lugares e pessoas novas, mas mesmo assim, nos últimos anos, tenho procurado guardar uma parte das minhas férias só para conhecer mais das minhas próprias terras, e tenho curtido muito.

Ao longo do dia de hoje, vou posta algumas dicas de lugares legais para se conhecer no estado e na cidade de São Paulo. São dicas baseadas na minha experiência, mas se possível, gostaria de conhecer novas dicas, pois como eu disse, às vezes sou apenas um turista por aqui.

Pra começar, a primeira dica, na cidade de São Paulo, um dos meus lugares preferidos, a Avenida Paulista.

Avenida Paulista

Minha vida passa por essa Avenida, que dia ou de noite, me encanta. São tantas coisas para ser ver, para se fazer, para comer, que é como viajar o mundo em apenas alguns kilometros. Para quem conhece, ou para quem não conhece, uma coisa que indico é atravessar toda a Avenida, de uma ponta à outra, a pé, com tempo, curtindo cada uma das coisas interessantes ao longo do caminho.

Cito alguns exemplos:

Museu de Arte de São Paulo, o famoso MASP

Avenida Paulista, 1.578 (Metrô Trianon-Masp)

Impossível falar da Avenida Paulista sem falar no MASP. Abriga ótimas exposições, mas para mim, as melhores sem dúvida, e que merecem uma visita, são as exposições do acervo do próprio museu.

Casa das Rosas

Avenida Paulista, 37 (Metrô Brigadeiro)

É um centro cultural, que oferece cursos e eventos voltados para a literatura e poesia. Só a visita ao belíssimo casarão onde está instalado o centro já vale o passeio.

Conjunto Nacional

Avenida Paulista, 2037 (Metrô Consolação)

Este clássico condomínio paulista acabou se tornando um pólo cultural, não só por seu Espaço Cultural, mas também por abrigar a Galeria de Artes da Caixa Cultural de São Paulo e uma das mais belas Livrarias Cultura que já visitei, que conta com o Auditório Eva Herz, que apresenta grandes eventos, e o Cine Livraria Cultura.

Parque Siqueira Campos, o famoso Parque Trianon

Rua Peixoto Gomide, 949 (Metrô Trianon-Masp)

Apesar de não ser tão grande como o Parque do Ibirapuera e outros parques de São Paulo, é uma boa pedida para fugir da selva de pedras, bem no meio da Avenida Paulista. É um lugar muito gostoso para dar um passeio, relaxar, ler um livro, além de ter algumas esculturas espalhadas por todo o parque.

É na Avenida Paulista também que fica um dos lugares preferidos dos Geeks e Piratas da região, o famoso Stand Center, onde China e Paraguai disputam espaço.Não vou indicar o endereço, pois saber se está no mesmo local ou se está aberto é sempre uma incógnita, mas caso esteja na Avenida Paulista e queira dar uma passada por lá, é só perguntar, caso esteja aberta te indicarão como chegar lá.

Na Desciclopédia tem um texto bem humorado sobre o lugar: http://desciclopedia.org/wiki/Stand_Center, recomendo a leitura para entender do que se trata.

 
Deixe um comentário

Publicado por em junho 13, 2011 em RELACIONAMENTO, TURISMO

 

Tags: , , , , , , ,