RSS

A TEORIA DO AMOR, SUAS VARIAVEIS E SUAS VARIAÇÕES

19 maio

Este capítulo da série teve a participação muito especial de alguém que estava entrando em minha vida de uma forma muito especial, e pra ficar, minha amiga, minha companheira, Beea Lima. Ela participa não só inspirando partes importantes da história, como também revisou e me ajudou no texto deste capítulo. Foi muito bom contar com a colaboração de uma pessoa tão especial, que com muito orgulho, também é uma grande escritora.

Leia os Capítulos Anteriores: Parte 1; Parte 2; Parte 3

A TEORIA DO AMOR, SUAS VARIÁVEIS E SUAS VARIAÇÕES

Um texto de Y. Camargo

Colaboração: Beea Lima

Prólogo

Não sei mais o que fazer. A gente se dá tão bem. Parecemos tanto um com o outro. Ela me entende e me compreende. É alguém com que valeria a pena passar o resto da vida.


Parte 4: Afinidade

Alguns dias antes

DR _ Humberto. Estou te esperando faz quase uma hora. Onde você está? Você não liga pra mim mesmo hein!

Humberto está atrasado trinta minutos para um encontro com a Jéssica. Ela tem pegado muito no pé dele ultimamente, enquanto ele tem feito o possível para tolerar tudo pacientemente. A atração já não é mais a mesma de antes e a paixão cozinha em fogo brando. O que acontece com um casal quando a atração e a paixão diminuem?

É normal, em determinado momento da relação, as diferenças que antes pareciam não existir virem à tona. É neste momento que os sentimentos são colocados a prova. Ás vezes acontece de um dos parceiros rejeitar o outro, ou haver rejeição mútua. Mas também podem descobrir uma verdadeira afinidade entre eles e mesmo com toda diferença, passa a valer a pena lutar pela construção de um relacionamento que dure. É um momento muito delicado no ciclo de qualquer relacionamento. É como se escamas caíssem dos olhos e finalmente se torna possível enxergar os defeitos do outro. Percebe-se que aquela pessoa, que parecia perfeita, na verdade não é tão perfeita e que seus pequenos defeitos, outrora ignorados, são na verdade grandes e incômodos defeitos.

Humberto e Jéssica estão vivenciando isso de maneira prática. Ao mesmo tempo em que Jéssica tem certeza de que ama Humberto e quer ficar com ele para sempre, ela também percebe suas falhas e defeitos e acabava discutindo com ele, pois para ela, se ele a ama de verdade, como diz amar, ele deve mudar. Mas Humberto também está passando pela mesma fase. Enquanto estavam na fase da paixão, ele estava cego, mas agora ele está começando a encarar a realidade e a seriedade deste relacionamento, e a Jéssica perfeita que conheceu às vezes já não se parece com a que ele vê hoje. Esta é uma fase necessária, porque as pessoas são diferentes uma das outras e sempre há arestas que precisam ser aparadas.

Humberto realmente acredita neste relacionamento, por isso ele tem tentado resgatar o romantismo dos primeiros meses, com palavras, sentimentos e atitudes. Semana passada, por exemplo, ele deu pra ela um colar e agora, mal sabe ela, ele está atrasado porque parou em uma loja para comprar uma cesta com vinho, flores e chocolates, que ele pediu para entregarem no trabalho dela na manhã seguinte, quando completam um ano e três meses de namoro.

Mas mesmo o romantismo é colocado a prova quando estão na delicada fase de transição entre paixão e afinidade, quando se começa a ver o outro à luz do dia, alguns detalhes que pareciam encantadores podem passar a ser irritantes.

_ Humberto, você não cuida da sua casa. O que são estas roupas espalhadas pelo chão? E esta geladeira vazia. Estou com fome, e chego aqui e não tem nada pra comer. Você não está nem ai pra mim mesmo.

Outrora ela até achava graça quando abria a geladeira e não encontrava nada. No máximo dizia: _ Estou com fome. Vamos sair para comprar alguma coisa?

E o Humberto, que sempre ouviu tudo o que ela dizia pacientemente, agora se imagina apertando o pescoço dela, enquanto pensa: Será que eu posso agüentar isso pra sempre? Será que temos alguma coisa em comum?

Encontrar a cara-metade significa encontrar alguém com que se possa construir um relacionamento baseado em companheirismo e interesse comuns, porque quando a fase da paixão passar, e sempre passa, é isso que manterá a chama do amor viva. Um relacionamento tem que ter amizade, para que haja mais do que atração sexual e paixão. Para que haja prazer de conviver e em quem confiar.

_ Humberto. O que está acontecendo? Você não liga mais pra mim. Me diz, qual é o problema? Você não gosta mais de mim? É isso? Pode falar.

_ Jéssica, meu amor, não é esse o caso.

_ Ah. Caso, é isso! Você está tendo um caso com alguém não é?

_ Hã?! Claro que não. Nunca. Você não está bem. Acho melhor a gente conversar quando você estiver mais calma.

_ Então é assim. Você acha que basta fugir pra resolver tudo. Porque não assume o que você quer afinal.

_ Hã?! Claro que não. Nunca! Você não está bem. Acho melhor a gente conversar quando você estiver mais calma.

_ Como assim? O que você está dizendo. Não estou fugindo de nada. Porque você não diz o que quer então? Você quem está incomodada. Você quer terminar? É isso?

_ Isso é típico de vocês homens covardes, tentam esconder as coisas até o último momento, e quando não agüentam mais, fogem. Acham que é mais fácil se acovardar e terminar. Tudo bem, então suma da minha frente. Está tudo acabado.

Anúncios
 
2 Comentários

Publicado por em maio 19, 2011 em CRÔNICAS E CONTOS, RELACIONAMENTO

 

Tags: , , , , , , ,

2 Respostas para “A TEORIA DO AMOR, SUAS VARIAVEIS E SUAS VARIAÇÕES

  1. simone

    abril 20, 2008 at 12:22 pm

    A começar pelo o prologo:Então faça valer a pena!!!!!

    Se “Humberto” acreditava no relacionamento,ele deve fazer oq for possivel para ter o q lhe faz bem perto,e nao longe.Crises e má fases acontecem,basta saber como lidar com essas fases,pesar o que viveram, avaliar o que tinham juntos.Acho que ele não soube como mostar a “Jéssica” que ela não precisava se sentir insegura,e “Jéssica” tb não soube como se expressar…uma pena o comportamento dos dois, pois os levou a um final(?) que talvez não tenha sido o mais correto, acredito que dessa vez,esta não teria sido a melhor forma de resolver,mesmo que alguém possa achar que isso fosse necessário.Nunca entendi o fato de duas pessoas que se gostem, ficarem separadas, sempre desejei que tudo fosse esclarecido o quanto antes para que pudessem aproveitar o tempo que D´us nos permite ter com quem nos faz bem, com aquela pessoa que queremos fazer até o impossivel só pelo fato de gostarmos dela.
    Espero que, se for para o bem dos dois,Humberto e Jéssica se entendam e possam enfim descobrir( e que isso não ocorra tarde demais) o que é bom para cada um, estando juntos… Ou não!!!

    P.S.: Espero que “Humberto” possa fazer o bem que “Jéssica” fazia a ele!

     
  2. Beea

    maio 19, 2011 at 7:51 pm

    Eu ia comentar mas non consego lendo o comentário acima (ou abaixo, que seja). Olha a Jess aiii gentem rs rs

     

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: